Grajaú no Rio de Janeiro

7 minutos para ler

Um dos mais conhecidos bairros da Grande Tijuca, conheça aqui o bairro Grajaú no Rio de Janeiro.

O Rio de Janeiro tem aquela beleza carioca que em nenhum outro lugar conseguimos encontrar. E não falamos apenas dos moradores ou da natureza exuberante que se espalha pela cidade, mas, também, da beleza cultural, que aparece sempre que andamos pelos bairros do município.

Os bairros da Grande Tijuca são exemplos disso, pois foram consolidados ainda na época colonial, trazendo consigo a arquitetura, culinária e cultura dos colonizadores ainda nos dias de hoje. Aliás, é por conta disso que possuem tamanha relevância para a história do Rio de Janeiro.

O Grajaú é um desses bairros. Apesar de não ser tão antigo quanto aTijuca ou o Andaraí, tem grande importância para a cidade. Em especial por ser considerado um dos melhores para se viver em questão de qualidade de vida, renda, educação e planejamento urbano.

Nesse contexto, a partir de agora, você poderá conhecer mais afundo a região da Grande Tijuca e cada um dos seus bairros de forma breve, com destaque para o Grajaú, que será nosso tema central. Confira o que preparamos!

Região da Grande Tijuca, no Rio de Janeiro

Composta por sete bairros, a Grande Tijuca é uma região extensa e de grande relevância para a cidade do Rio de Janeiro, especialmente por envolver bairros históricos e tradicionais que carregam consigo o passado do município.

Tijuca, por exemplo, é um bairro de classe média conhecido por ser tranquilo e proporcionar uma qualidade de vida sem igual para seus moradores. É, também, um dos mais tradicionais da Cidade Maravilhosa, destacando-se quanto à riqueza arquitetônica e sua cultura.

Já o Vila Isabel é o berço do samba carioca. Sua atmosfera mistura o clima boêmio que o bairro vivenciou ao longo do século XX e as grandes áreas residenciais, que oferecem uma ótima infraestrutura.

Temos, ainda, o Maracanã, conhecido pelo famoso Estádio do Maracanã, o qual sedia eventos nacionais e internacionais da música e dos esportes. Trata-se de um bairro nobre do Rio de Janeiro com localização privilegiada e de vizinhança estritamente residencial.

O Alto da Boa Vista, por sua vez, é uma área de grandes mansões, com clima ameno e sem tanta agitação. Localizado na Serra Tijucana, tem ares pitorescos da montanha, densa vegetação ao redor e belas paisagens para se apreciar.

Andaraí é um pouco diferente. Diz respeito a um dos bairros do Rio de Janeiro mais antigos em questão de fundação. Em meados do século XIX, tornou-se industrial, mas logo deixou essa virtude de lado e passou a ser residencial devido à construção de diversos edifícios e empreendimentos.

Também precisamos citar o Praça da Bandeira, com localização estratégica e diversas vias de ligação para outras regiões da cidade. Isso facilita a presença de inúmeros estabelecimentos comerciais ao longo de suas ruas.

Por fim, temos o Grajaú, a respeito do qual falaremos em mais detalhes no tópico a seguir. Acompanhe o conteúdo!

Bairro Grajaú no Rio de Janeiro

Conhecido por ser tranquilo e ter ruas largas e arborizadas, o Grajaú está situado na zona norte do Rio de Janeiro. Ele tem um clima bem residencial, mas é estimado por preservar a natureza e conservar os ares de interior. Inclusive, 89,5% das vias públicas são arborizadas.

De classe média e áreas bem planejadas, é uma região procurada por quem quer morar em um lugar que proporciona qualidade de vida para a população local, que possui um pouco mais de 62 mil habitantes.

Vamos, então, compreender melhor quanto à história do Grajaú, conhecer algumas curiosidades a respeito da região e entender os motivos de o bairro ser um exemplo quando o assunto é infraestrutura? Acompanhe o nosso conteúdo e fique por dentro dessas informações!

História e curiosidades

bairro grajaú no rio de janeiro: história, curiosidades e infraestrutura

A história do Grajaú começa com grandes pedaços de terras doados aos padres jesuítas no século XVI, utilizadas para o cultivo de cana de açúcar. Elas formavam a região de Andaraí Grande, porém o nome foi abolido em XIX, quando houve a separação de Vila Isabel, Aldeia Campista e Grajaú.

O nome do bairro tem origem indígena, do termo “uirá-ya-hú” ou “grajahú”, que faz alusão ao formato de uma pedra que leva a mesma nomenclatura.

A edificação do bairro foi feita em torno do Vale dos Elefantes, com proximidade da pedra que hoje é seu símbolo: o Pico do Papagaio. Nessa época, a Estrada do Andarahy ou atual Rua Barão de Mesquita foi a primeira via oficialmente construída na região, em 1875.

Anos mais tarde, em 1920, o Grajaú passou a adquirir um novo formato, com suas ruas sendo planejadas e organizadas em quadriculados, ao redor de uma praça central, chamada de Praça Edmundo Rego.

O que antes eram apenas casas, transformou-se em um bairro em crescimento a partir de 1950, quando houve um aumento da população. Assim, a paisagem mais rural deu espaço a prédios e condomínios de grandes proporções, a fim de atender a quantidade de pessoas que precisava de uma residência.

Um fato interessante é que, um pouco antes da ascensão da região, no início do século XX, linhas de bondes elétricos começaram a passar pelo bairro, mas logo foram desativadas e, posteriormente, extintas.

Infraestrutura e qualidade de vida

Algo que chama a atenção das pessoas para buscarem uma oportunidade de moradia no Grajaú é a calmaria. Apesar de ter uma infraestrutura completa quando comparado a outros bairros do Rio de Janeiro, o Grajaú oferece momentos de tranquilidade para a população.

Isso se deve ao fluxo pequeno de automóveis e indivíduos. Aos domingos e feriados, por exemplo, a Praça Edmundo Rego é fechada para a circulação de carros, o que oferece maior segurança para as crianças brincarem no local.

As feiras ao ar livre e os eventos culturais programados, por outro lado, convidam a todos — independentemente da idade e dos gostos — para um passeio pela praça, a fim de aproveitarem o que a região tem de melhor.

Além disso, há dois clubes no Grajaú que podem ser utilizados pelos moradores para a prática de esportes e exercícios físicos. No entanto, esses espaços também possuem piscinas e estrutura de lazer para que as pessoas possam curtir o dia e apreciar boas apresentações.

Em final de semana do mês de junho, a igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro organiza uma festa junina na praça central, com direito a barracas, bandeirinhas penduradas e muita brincadeira para as famílias.

Vale mencionar, ainda, que há o Parque Estadual do Grajaú na região, o qual faz parte da Floresta da Tijuca. Ele foi criado como uma reserva ambiental e é considerado o coração do bairro, já que abriga diversas espécies da fauna e flora, com ambientes propícios para atividades ao ar livre, como piqueniques.

Venha morar na Grande Tijuca e desfrutar de suas possibilidades

Como pudemos perceber, a região da Grande Tijuca envolve uma área privilegiada, com bairros localizados estrategicamente e construídos a partir de uma infraestrutura excelente para atender às demandas da população, principalmente nos quesitos comércio, educação e serviços essenciais.

Por conta disso, se você estiver pensando em morar no Rio de Janeiro, dê uma lida em nosso artigo sobre os “7 motivos para morar na Grande Tijuca”. Nele você descobre o porquê de a região ser tão procurada. Quem sabe o Grajaú ou algum outro bairro da região desperte o seu interesse?

Nós, da Miguez Imobiliária, temos diversas opções para compra e locação, com preço justo e ao alcance de suas expectativas. 

Estamos situados na Rua Afonso Pena, número 71; e na Avenida Maracanã, número 1281. Passe em uma de nossas lojas e converse com a gente!

Posts relacionados

Deixe um comentário